Como parar de sofrer pelo fim do relacionamento (a solução definitiva)

Acabou.

Você nunca achou que esse dia chegaria, mas chegou.

Agora, além da bunda e do coração doendo, tudo que você tem são lembranças e uma cacetada de fotos para deletar das redes sociais…

Eu sei. É muito foda lidar com o fim.

Você caiu de queda livre na fossa e não sabe como sair de lá? Já não aguenta mais chorar por um relacionamento que não vai voltar? Nem seus amigos aguentam mais te ver assim…?

Tudo que você queria era uma fórmula mágica para virar a página e, se possível, um botão de desliga para esquecer esse homem, né?

Não julgo.

Os filmes, novelas e grandes livros até te fizeram acreditar que todos os amores são invencíveis e para sempre. Mas sabemos que a realidade não é assim tão poética…

No mundo real, pode ter mensagem não respondida. Podem ter discussões bem duras. Pode ter par de chifres. Pode ter o cara que você ama dizendo com todas as letras que não quer te ver mais. Nunca mais. Que já era. C’est fini.

E pode ter um pote de Nutella na madrugada para tentar lidar com tudo isso…

Faz parte.

Pessoas são pessoas, não pedras. Mudanças vão acontecer. Seja de vida, seja de filosofia, seja de ambiente geográfico.

Os tempos mudam. Os relacionamentos mudam. E, olha que coincidência, os sentimentos também mudam.

A vulnerabilidade da vida é uma bosta mesmo. E está fora do seu controle.

Mas sabe de uma coisa que está completamente nas suas mãos?

Como você vai reagir a isso tudo.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional. 

Você já escutou essa frase?

Parece até coisa de louco, não é mesmo?

Quem, em sã consciência, iria escolher o sofrimento?

Ninguém.

Mas, veja bem, eu disse em sã consciência. E isso faz toda a diferença.

Vamos dar um exemplo disso na prática:

Imagine que você está com o braço estendido, segurando uma xÍcara cheia de chá. Como se estivesse oferecendo ela a alguém.

Muito bem. A xícara não pesa quase nada e, obviamente, você consegue segurá-la nessa posição sem nenhum problema.

Agora, se você ficar segurando a xícara por muito tempo, por mais leve que ela seja, a coisa já complica um pouco.

Uma hora…

Duas horas…

Três horas…

O que vai acontecer?

Vai doer o seu braço, claro. E vai ficar insuportável segurar uma simples xícara de chá.

Ou seja, a dor é inevitável. Mas o tempo que você escolhe segurá-la é você que determina.

EXPECTATIVAS ERRADAS =
SOFRIMENTO GARANTIDO

Todos nós passamos por situações na vida que doem. E muito!

Quanto a isso, não há discussões.

Alguns sofrem quando tomam um pé na bunda. Acreditavam que aquele amor seria eterno. Não foi.

Outros entram em desespero quando são demitidos daquele emprego que parecia estável. Não era.

Tem quem sofra muito, e com razão, quando é diagnosticado com uma doença crônica. Pensavam que eram invencíveis. Não eram.

Ou quando alguém querido morre. Acreditavam que teriam esse alguém por perto para sempre. Não tiveram.

Claro que essas são situações diferentes e, consequentemente, trazem dores diferentes. Mas, se você analisar com cuidado, em todas elas existe algo em comum: uma desconexão entre a expectativa e a realidade.

Havia uma expectativa. Mais do que isso: havia a crença de que o CERTO seria se a realidade correspondesse a essa expectativa. E quando isso não acontece, vem o sofrimento, o sentimento de que deu tudo ERRADO.

Pense comigo:

Quando você ganha uma flor, você não espera que ela viverá linda e colorida para sempre, não é mesmo?

Você sabe que essa flor terá um fim. Sabe que as suas pétalas vão murchar e que, inevitavelmente, o seu destino será o lixo.

E você não sofre por isso.

Por quê?

Porque, desde o início, você não teve a falsa expectativa de que aquela flor duraria eternamente. Não há uma desconexão entre a expectativa e a realidade, portanto não há sofrimento.

É claro que eu não estou comparando você com algo descartável, que acaba indo para o lixo.

O caso é que, por mais que você não queira nem pensar a respeito, você sabe que seus parentes queridos não viverão para sempre. Sabe que o cara com quem tá saindo poderá não querer continuar o lance com você. Sabe que pode dar ruim no seu emprego. Sabe que, infelizmente, está sujeito uma dessas doenças terríveis que chegam sem explicação.

Conscientemente, você sabe de tudo isso. Mas, na prática, prefere acreditar que nada disso é possível.

TENHA A CLAREZA DE QUE ABSOLUTAMENTE NADA NA VIDA É PERMANENTE

Cedo ou tarde, todos teremos problemas a enfrentar. Todos teremos expectativas frustradas. Isso é fato!

Entenda uma coisa: tudo na vida é impermanente. O dia, a noite, as horas.

Até a vida.

Quando você ganha essa consciência de que a vida é repleta de mudanças e de eventos imprevisíveis, é capaz de apreciar muito mais o momento presente.

E, principalmente, é capaz de aceitar qualquer cenário sem sofrimento. Porque a clareza afasta a ilusão de que as coisas ruins nunca vão chegar, de que os problemas nunca vão bater na sua porta. De que aquele cara nunca vai te abandonar…

Alimentar a crença de que a realidade vai corresponder sempre às suas expectativas é uma fórmula garantida de sofrimento.

Não se engane: a vida não está totalmente sob o seu controle. O mundo não gira ao seu redor. As pessoas ou coisas que te trazem alegria não estarão aqui para sempre.

A única coisa que está totalmente sob o seu controle é você mesmo, e a maneira como encara cada desafio.

QUER PARAR DE SOFRER?
ACEITE A SUA DOR

O que acontece quando a maioria das pessoas passa por uma situação de dor? Elas entram no modo de negação.

Pensam: “isso não pode estar acontecendo comigo!”

E qual é o resultado? Nada muda. A realidade continua a mesma.

Daí, quando percebem que a negação não está funcionando para mudar a realidade, vem o sentimento de raiva. Elas xingam, gritam, se desesperam.

Só que, de novo, nada muda. A realidade continua a mesma.

É nesse momento que chega a esperança. Depois de constatar que a raiva não agrega em nada, as pessoas se apegam numa força maior e passam a torcer para que as coisas mudem.

Resultado? Mais uma vez, nada muda. A realidade continua a mesma.

Quando percebem que a esperança não está funcionando, geralmente, as pessoas entram em depressão. Ficam desiludidas, tristes, sem ver sentido na vida.

Resultado? Nada muda. A realidade continua igualmente dura.

Só que daí o tempo vai passando e essas pessoas começam a confrontar a realidade. Com muita tristeza, é verdade, mas também com clareza. Elas nunca acreditaram que esse cenário seria possível, mas agora sabem que ele se concretizou.

E é aqui que o sofrimento acaba: quando elas aceitam. Quando deixam de opor resistência contra o que já aconteceu.

Sim, aquela frase: “aceita que dói menos” é muito verdadeira.

Eu sei que é difícil assumir pra gente mesmo quando não temos mais os nossos sentimentos correspondidos por alguém que amamos.

Dá uma sensação horrível de impotência, de insuficiência, uma angústia tão grande que a saída mais fácil é simplesmente negar. E se iludir.

Já te aviso: não adianta nada ficar alimentando a esperança de que esse cara vai voltar. Não vai!

Pode até existir uma possibilidade remota de que sim. Mas, a princípio a resposta é um não bem grande.

Então, aceite que acabou!

1. Negação
2. Raiva
3. Esperança
4. Aceitação

Você, provavelmente, já passou por esse processo alguma vez na vida. O que talvez nunca tenha se dado conta é que, se tivesse aceitado as coisas como são desde o início, teria poupado muito sofrimento.

Importante: não confunda aceitação com resignação!

Não estou dizendo que você deve se resignar ou ser submisso ao problema. Apenas que não deve opor resistência ao que já é realidade.

Existe uma GRANDE diferente entre abaixar a cabeça diante de obstáculos que podem (e devem ser superados), e aceitar aquilo que, infelizmente, não tem volta.

O seu relacionamento de anos acabou de uma forma terrível? Ele falou que não quer mais e não tem jeito? Paciência, coisas melhores virão.

Aquele cara desapareceu cruelmente sem deixar rastros? Foda-se, ele não é o único no mundo.

Aceite. E desapegue!

Deixe no passado o que já aconteceu. O que já foi, já foi. Não interessa.

A pergunta é: o que você pode fazer a partir de agora?

Se dê tempo para curtir a fossa, chore o quanto tiver de chorar, sinta falta, mas mantenha a vida caminhando para frente de forma positiva.

Aceite que a xÍcara de chá, inevitavelmente, fará o seu braço doer.

Até quando você vai escolher segurá-la?

Aproveite para ler também:
[10 dicas eficazes para esquecer o ex e voltar a ser feliz]